Não consigo falar para meu chefe o que penso. E agora?

Um problema vivenciado por muitos colaboradores é o medo de seus chefes e superiores, isso não é uma regra, mas acontece e muito ainda nas empresas. Eles se sentem desabilitados por essas figuras de autoridade e não sentem a liberdade necessária para expor opiniões, ideias e participar de forma ativa nos processos da empresa. Acontece que esse tipo de problema é responsável, muitas vezes, por criar uma imagem errada a seu respeito como colaborador, que fica para seu chefe como alguém sem opinião ou iniciativa.

Talvez por medo, insegurança ou mesmo por educação, podemos evitar falar o que pensamos para nosso chefe, que representa uma figura de autoridade. Aprendemos isso muitas vezes na infância, quando nos dizem para não responder aos mais velhos, o que antes eram os pais, se expandiu para o seu gestor. E o medo da figura de autoridade é uma dificuldade subjetiva, que deve ser tratada com prioridade e objetividade para que não se transforme em algo maior do que realmente é na mente das pessoas envolvidas. Outro fator que nos faz sentir muito inseguros para falar o que pensamos a nossos superiores imediatos é a nossa falta de autoconfiança, que só podemos possuir através de um profundo autoconhecimento.

Entretanto, ao invés de você ficar pensando “por que eu não consigo falar com ele?”, comece a pensar “Como eu consigo falar com ele?” A Programação Neurolinguística (PNL) tem um pressuposto que diz: “Onde está a sua atenção está a sua energia”, então se você foca sua atenção no problema, a sua energia e os estados emocionais ficam congruentes ao problema, trazendo ansiedade, medo, irritabilidade e outras emoções negativas.

Quando a sua atenção e os seus pensamentos estão na solução, a tendência é você encontrar a coragem, confiança e tranquilidade para encontrar a melhor forma de falar com ele. Foque sempre na solução, com isso, mude o seu estado emocional, seu comportamento e inevitavelmente os seus resultados! Essa é apenas uma das primeiras coisas que você deve fazer, mas eu também vou dar outras dicas aqui para você já exercitar:

1 – Você sabe o que fazer: as chances são que, bem lá no fundo, você saiba exatamente o que fazer ou falar. Infelizmente, opta por deixar essa solução escondida de si mesmo para não ter que enfrentar seus medos. Fazer isso é como alimentar um monstro. Quanto mais tempo você esperar, mais conspirações, problemas e motivos irá criar em sua mente para evitar a resolução de um problema ou uma situação.

2 – Não guarde só para você: como foi dito na dica anterior, quanto mais tempo você esperar, mais coisas estará criando na sua cabeça. Além disso, guardar todos esses problemas só para você não é uma boa ideia. Antes de conversar com seu superior, discuta a situação com uma pessoa próxima e de confiança, que não esteja envolvida na história e pode oferecer um ponto de vista novo e diferenciado sobre o que acontece.

3 – Faça um plano: antes de conversar com seu chefe escreva tudo aquilo que pensa e acha que ocorre sobre a situação. Isso vai ajudar você a esclarecer os pensamentos e ser mais objetivo durante o encontro. Além disso, é importante manter as emoções de lado e tratar apenas das questões profissionais.

E por fim, imagine-se falando com seu chefe de forma confiante, calma e assertiva, observe também como fica a sua postura física e fala. Faça esse exercício crie uma nova postura, observe o que começa a perceber sobre si mesmo. E então, escolha um horário, vá lá e fale!

Precisa de ajuda? Conheça o trabalho de Business e Executive Coaching.

 

Rejane Bussolotto
Rejane Bussolotto
Personal e Business & Executive Coach formada pelo Instituto Brasileiro de Coaching, consultora comportamental (DISC – Assessment) e consultora 360°. Formação em Desenvolvimento Pessoal e Profissional, Practitioner em PNL (Programação Neurolinguística), neurocoaching e mentoring; formada pelo Instituto Eduardo Shinyashiki. Bacharel em Administração de Empresas com Ênfase em Recursos Humanos pela FSG (Faculdade da Serra Gaúcha), e MBA em Gestão de Pessoas & Coaching pelo Instituto Brasileiro de Coaching.

Os comentários estão encerrados.