Como enfrentar momentos de crise numa empresa?

O momento de crise numa empresa sempre deixa as pessoas sem chão, inseguras e a consequência disso aparece na desmotivação, no medo e na convivência com os colegas, onde acabamos refletindo esses comportamentos. O importante nesse momento é o processo de tomar consciência do porque realmente isso afeta você e trabalhar nisso. Você pode começar avaliando duas coisas:

– Os teus valores estão alinhados com os valores da empresa?
– Você acredita na missão da empresa?

Se a resposta for sim, então cabe a atitude de se trabalhar internamente para conviver com esse momento da empresa, seja de crise, de demissões em massa, seja de renovação, enfim, tudo é uma questão de consciência. Estar consciente, significa olhar para a situação com a razão, procurar ter paciência e analisar porque aquela situação está te afetando diretamente. Será o medo de perder o emprego que te afeta? Será a desorganização, o clima entre as pessoas? Procura identificar o que está realmente te incomodando e tente se trabalhar nisso. Identificar o desconforto já é meio caminho andado.

Agora, se a resposta for não, se você não acredita na missão da empresa, se os teus valores, por exemplo, honestidade, respeito, ética, estão sendo abalados nesse processo que a empresa vive, cabe se perguntar: Por que continuar nessa empresa? Até que ponto vale estar num lugar somente pelo pagamento? Não seria hora de buscar um trabalho em que você se sinta plenamente de acordo com os teus valores?

Claro que no momento atual, muitos se questionam a respeito da estabilidade em seus empregos, temos medo de trocar o certo pelo duvidoso, mas eu acredito que as empresas, por mais que estejam em situação crítica, sempre vão querer contratar pessoas competentes, pessoas que se comprometem, que vestem a camisa, que estão dispostas a ajudar a empresa a crescer. Então se você é uma dessas pessoas, com certeza, a crise não vai te afetar.

Eu falo por experiência própria, quando eu tinha as escolas, fazia o processo de contratação e demissão, e posso dizer que as vezes eu nem me importava se a pessoa não tinha experiência, mesmo que eu precisasse treiná-la do zero, o que mais me importava era ver o comprometimento e a vontade de crescer junto com a equipe.

Enfim, toda empresa precisa de pessoas para existir, empregos de todos os tipos sempre estarão ao nosso alcance. Cabe a cada um, decidir o quanto vale a pena se dedicar a empresa que está, ou se é hora de trocar. Um bom termômetro disso é verificar como está sua depressão de domingo a noite, você se sente motivado para trabalhar na segunda? Pense nisso.

 

 

Carolina Maino
Carolina Maino
Graduada em Relações Públicas com MBA em Gestão Empresarial pela FGV, Possui formação internacional em Coaching pela SLAC (Sociedade Latino Americana de Coaching), é Analista de Professional Assess Certification, desenvolvendo habilidades de avaliação e construção de Modelo de Competências, Analista DISC (Avaliação de Perfil Comportamental) e Practitioner em Programação Neurolinguística.

Os comentários estão encerrados.