As 10 características da Autorrealização

As 10 características da autorrealização

Para onde estou indo? Estou certo de meus objetivos e sonhos? Essas e outras perguntas muitas vezes nos rodeiam, quando buscamos um significado para nossas vidas. Almejamos vivenciar uma experiência realizadora no mundo, estabelecer conexões internas e externas, sem esquecer de satisfazer até nossas necessidades mais simples.

A Teoria das Necessidades Humanas, desenvolvida pelo psicólogo norte-americano Abraham Maslow busca separar, de forma hierárquica, as diferentes necessidades que os seres humanos têm. Esse modelo compreende cinco categorias de necessidades humanas: fisiológicas, segurança, afeto, estima e as de autorrealização. Na pirâmide que representa esta teoria, a base é formada pelas necessidades mais básicas relacionadas com a sobrevivência e o topo pelos desejos de autorrealização.

Mas afinal, o que é autorrealização? Ela nada mais é que uma necessidade de crescimento, um desejo de nos tornarmos mais e mais o que somos em essência, para nos tornarmos tudo o que somos capazes de ser. Isso inclui a realização, aproveitar todo o nosso potencial e relaciona-se com necessidades de autonomia, independência e o autocontrole.

A autorrealização é um tema investigado cientificamente desde a década de 1950, mas recentemente, o psicólogo e pesquisador Scott Barry Kaufman identificou dez características que definem as pessoas autorrealizadas e verificou sua associação com o aumento da criatividade e do bem-estar.

Para ajudar você a identificar se é uma pessoa autorrealizada, listamos aqui essas 10 características fundamentais para a autorrealização, confira:

 

  1. Apreciação contínua (das coisas simples):

“Posso apreciar de novo e de novo, ingenuamente, as coisas básicas e boas da vida, com reverência, prazer e até êxtase. Não importa quão importante essas experiências possam parecer aos outros.”

 

  1. Aceitação (sem vergonha de ser você):

“Aceito todas as minhas peculiaridades e desejos, sem vergonha e sem culpas.”

 

  1. Autenticidade (ser quem se é mesmo em situações indignas):

“Posso manter minha dignidade e integridade, mesmo em ambientes e situações que sejam indignas.”

 

  1. Equanimidade (ânimo em qualquer circunstância):

“Tendo a encarar os altos e baixos da vida com tolerância, aceitação e equanimidade.”

 

  1. Propósito (meta, objetivo):

“Sinto uma grande responsabilidade e dever de realizar uma missão específica na vida.”

 

  1. Percepção eficiente da realidade:

“Estou sempre tentando entender a verdade real sobre as pessoas e a natureza.”

 

  1. Humanitarismo (desejo de ajudar):

“Tenho um desejo genuíno de ajudar a raça humana.”

 

  1. Experiência de pico (sentir que novos horizontes estão surgindo)

“Tenho experiências, com frequência, em que sinto que novos horizontes e possibilidades estão surgindo para mim e para outras pessoas.”

 

  1. Boa intuição moral (saber quando se faz algo errado):

“Posso perceber “no fundo”, logo quando fiz algo de errado.”

 

  1. Espírito criativo (que toca tudo o que faz):

“Tenho um espírito geralmente criativo que toca tudo que faço.”

 

E você, já é realizado na vida? Deixe aqui seu comentário:

Carolina Maino
Carolina Maino
Graduada em Relações Públicas com MBA em Gestão Empresarial pela FGV, Possui formação internacional em Coaching pela SLAC (Sociedade Latino Americana de Coaching), é Analista de Professional Assess Certification, desenvolvendo habilidades de avaliação e construção de Modelo de Competências, Analista DISC (Avaliação de Perfil Comportamental) e Practitioner em Programação Neurolinguística.

Os comentários estão encerrados.